ARTIGO: Acabou o entra-e-sai! E agora?

Cliente: 
Postado em 26/06/2012

Quem dependia da garagem do prédio vizinho vai ter que procurar outro local para deixar o veículo, salvo se a convenção do condomínio autorizar a locação ou venda da vaga. Essa foi a determinação da Lei Federal 12.607 que já está em vigor desde o mês de maio de 2012.

A intenção da nova lei é aumentar a segurança nos condomínios que são alvos constantes de assaltos e arrastões. Mas quem vai sair mais prejudicado? O locador ou o locatário da vaga? O primeiro vai ter de fazer uma busca alucinada atrás de uma vaga segura para deixar o veículo e com aluguel que caiba no seu bolso. Já o segundo vai ter uma redução da renda mensal, utilizada para pagar contas, diversão, entre outros.

Apesar das consequências, concordo com a nova lei, pois o entra-e-sai de pessoas desconhecidas traz muitos riscos para os condôminos. Mas, por outro lado, o governo ainda tem muito a fazer para melhorar a segurança da população e dos condomínios. Afinal, vivemos cercados por muros altos, cercas elétricas e cada dia mais somos aprisionados em nosso próprio lar.

Segundo dados da Polícia Civil da cidade de São Paulo, só este ano ocorreram mais de 25 arrastões nos condomínios e restaurantes da cidade.

E não é preciso ser um condomínio de luxo, não! Condomínios da classe média também passaram a ser alvos das quadrilhas “especializadas” em assaltos a condomínios. Por isso, os condomínios em conjunto com a polícia precisam pensar rapidamente em estratégias que diminuam esses ataques ou vão se tornar cada vez mais frequentes.

Enquanto isso nos resta pensar em qual será o próximo passo que deve ser tomado para garantir a segurança em nossos condomínios. Sistemas de vigilância eletrônica, seguranças e porteiros bem treinados, controle de acesso, enfim, são inúmeras as possibilidades e ferramentas que podem ajudar na diminuição dos assaltos.

Mas não podemos esquecer que todas essas ferramentas serão bem utilizadas somente se houver o consentimento e a colaboração de todos os condomínios, que desempenham papel fundamental no plano de segurança do condomínio. Não podemos nos omitir! É nosso dever colaborar para as melhorias do condomínio, inclusive na questão da segurança.

A participação nas assembleias do condomínio é fundamental para os condôminos trocarem ideias e determinar estratégias que contribuam para o bem estar e segurança de todos os moradores. Então, você tem alguma sugestão para dar? Não se omita e ajude o seu condomínio em mais essa batalha do cotidiano.

* Lincoln Cesar do Amaral Filho é diretor da Superlógica e do portal LicitaMais (www.licitamais.com.br) e especialista em condomínios.