Twitter

Postado em 10 de janeiro de 2013 por editor

Entre dezembro de 2012 e janeiro de 2013 o Empreendemia, rede social voltada para micro e pequenas empresas,  foi destaque em quatro grandes mídias: Band Campinas, Exame, Info e Folha de S. Paulo. Na matéria da Band Campinas, a pauta foi sobre publicidade online.

Nas matérias da Exame e da Info, o Twitter do Empreendemia foi indicado como um dos melhores para os empreendedores  seguirem. Já a Folha de S. Paulo deu destaque para a marca e valorizou a rede social.

Atualmente o Empreendemia conta com mais de 23 mil empresas cadastradas e mais de 237 mil cartões trocados. A rede social está no ar desde o final de 2009.

InfoFolha de S. Paulo

Postado em 02 de março de 2012 por Carlos Eduardo Moura

 

homehunters: novo cliente da Happy Hour

A homehunters, uma das mais importantes empresas imobiliárias de Campinas e região, é a mais nova integrante da carteira de clientes da Happy Hour Comunicação. A empresa passa a contar a partir de agora com a assessoria da agência para as redes sociais.

Este é um passo importante da empresa, reconhecida por sua credibilidade, seriedade e profissionalismo de seus serviços de vendas, locação e lançamentos imobiliários. Ficamos muito satisfeitos em contribuir para que a homehunters se lance nas redes sociais e passe a atuar nelas com o mesmo sucesso que tem obtido no mercado imobiliário de Campinas e região.

Nossa equipe já está trabalhando para que o resultado nas redes seja o melhor possível.

A homehunters terá um perfil no Twitter, utilizado por cerca de 33 milhões de brasileiros, e uma nova fanpage no Facebook, a rede social que mais cresce no Brasil, onde estão hoje mais de 37 mil brasileiros.

Além dos perfis nas redes sociais, a Happy Hour Comunicação será a responsável pela criação e atualização do blog da Homehunters.

A homehunters é especializada em encontrar imóveis personalizados para cada perfil de cliente. A homehunters tem três unidades em Campinas (no Cambuí, Barão Geraldo e Nova Campinas), além de unidades em Sumaré e Indaiatuba.

Postado em 21 de março de 2011

Hoje o Twitter faz 5 anos. No começo era menos do que a ferramenta que hoje conhecemos bem, uma espécie de microblog - como é conhecido até hoje. As pessoas postavam o que estavam fazendo, como "indo ao trabalho", ou "saindo do banheiro", talvez "ansioso pela prova de hoje".

Mas evoluiu, tal como blogs (a princípio, apenas um diário virtual), Flickrs (lembra do fotolog? Então, no começo era apenas para serem postados trabalhos fotográficos e virou books pessoais) e até o Facebook (não preciso contar a história, não é?).

Atualmente, é uma importante ferramenta de comunicação, disseminação de ideias, produtos e serviços. Basta ver que muitas empresas, inclusive a Happy Hour, utilizam a ferramenta frequentemente.

Happy Birthday from Happy Hour!

Postado em 02 de agosto de 2010 por Carlos Eduardo Moura

TwelpForce - A Best Buy no Twitter

O grande prêmio (Titanium) do festival de Cannes Lions deste ano foi para o case TwelpForce, da Best Buy. Criado pela agência Crispin Porter + Bogusky, a ideia nada mais é do que um megaprojeto de atendimento personalizado e especializado ao cliente via Twitter.

Assim, um possível cliente pode ter informações detalhadas de produtos, porque quem está do outro lado do perfil na verdade são vários atendentes, 24h por dia e 7 dias por semana - e não apenas um profissional “pilotando” o Twitter da empresa. Simplesmente sensacional.

“Se você tem uma questão, tuíte e uma equipe de mais de 2 mil funcionários dará uma resposta rápida e da melhor forma possível”, diz o vídeo da campanha.

O case TwelpForce mostra claramente que o Twitter deve ser usado para a conversação. No caso da Best Buy, nada melhor do que colocar especialistas pra conversar diretamente com os clientes (como acontece nas lojas físicas).

É claro que cada empresa deve sentir e estudar a melhor forma de atuar em redes sociais e nem sempre é possível construir conversas de forma tão fácil como no caso da Best Buy.

O guia para marcas do Twitter afirma que uma das principais vantagens do Twitter é a chance de a companhia se comunicar de modo casual e espontâneo com o consumidor. Afinal, a mensagem não é intrusiva – só a lê quem é seguidor da empresa.

O guia ainda traz mais dicas (básicas, porém importantes): deixe sempre um meio de contato, como e-mail; preste atenção ao que dizem de sua marca, seus produtos e serviços; procure encaminhar reclamações para que sejam logo resolvidas; seja rápido no retorno; adote um tom casual nas mensagens; compartilhe os projetos da empresa; ofereça bônus e descontos; e, por último, mas não menos importante, não pratique SPAM.

O Twitter é uma boa forma de construir reputação, atrair clientes e ser relevante para o público-alvo. Uma boa estratégia é produzir e divulgar conteúdo de qualidade (conteúdo própria ajuda muito, aliás), que faça com que as pessoas queiram responder ou dar retweet (RT). O Twitter também pode ser usado como ferramenta de atendimento ao cliente, reduzindo gastos com telefonia e atendentes, por exemplo.

É um lugar para se construir relacionamento, basicamente.

No Brasil, alguns exemplos

E aqui no Brasil, como as lojas virtuais usam o Twitter?

O perfil do Submarino tem mais de 81 mil seguidores e é usado para promover as principais novidades da loja, além de realizar promoções exclusivas, porém não segue os seguidores de volta (deveria). Já a NetShoes, com mais de 10 mil seguidores, usa o perfil para fazer muita interação com os clientes, além de, é claro, divulgar promoções (a empresa segue os usuários que interagem com o perfil da loja).

A Camiseteria, com mais de 50 mil seguidores, utiliza o Twitter de forma bacana, procurando sempre fugir dos tweets promocionais, mas divulgando seus produtos, é claro. Tuíta também outras coisas não-relacionadas ao negócio e segue todos os seguidores.

No perfil da Sacks, com mais de 5 mil seguidores, o Twitter é utilizado para fazer MUITA interação com os usuários e também para divulgar produtos, promoções e lançamentos. Belo exemplo de bom uso.

O perfil da Dell no Brasil, com mais de 26 mil seguidores, faz do perfil um canal para enviar promoções e também para interagir com clientes e potenciais clientes.

Com mais de 72 mil seguidores, a Livraria Saraiva usa a ferramenta para divulgar novidades e promoções, basicamente. O perfil não interage com ninguém e nem segue de volta os seguidores (erros bobos). Já a Livraria Cultura, com mais de 22 mil seguidores, utiliza o Twitter para divulgar eventos e o conteúdo do blog da Cultura (muito bom, por sinal). Praticamente não há divulgação de ofertas, lançamentos etc.

Vale a pena dar uma lida na apresentação Como acabar com sua empresa em apenas 140 caracteres, baseada em monografia da Carolina Lima.

E destaco a pergunta “O que faz você seguir uma empresa no Twitter?”:

Relevância no conteúdo: 65%

Promoções: 59%

Interesse nos produtos: 56%

Acompanhar lançamentos: 54%

Admiração pela marca: 40%

Tirar dúvidas: 21%

Fazer críticas: 14%

Postado em 13 de junho de 2010 por Carlos Eduardo Moura

Pronto: a campanha “Cala Boca Galvão” já virou um verdadeiro case de marketing viral. Singela homenagem ao narrador Galvão Bueno e há quase uma semana nos trending topics (os assuntos mais falados) do Twitter no Brasil, a campanha ganhou o mundo e agora figura entre os temas mais discutidos. O “mundo” se pergunta: o que diabos é “Cala Boca Galvão”?

Para dar trela aos gringos, que não estão entendendo nada (alguns até acharam que seria a nova música da Lady Gaga), um grupo criou um institucional e cartazes “pedindo” aos quatro cantos da internet que os usuários da rede de microblogs postem a expressão “Cala Boca Galvão”.

A cada tweet, são “destinados” dez centavos à Galvão Bird’s Foundation, que desenvolve um projeto para proteger os Galvão Bird’s, pássaros muito raros no Brasil, em extinção.

Sem dúvidas, uma das melhores piadas dos últimos anos. Vai pra antologia, junto com os vídeos da Ruth Lemos e do Fernando Vanucci.

UPDATE: A campanha ganhou a capa da revista "Veja".

Salve os pássaros Galvão!

Postado em 03 de junho de 2010 por Carlos Eduardo Moura

Pesquisa elaborada pela empresa de consultoria Deloitte mostra que 70% das empresas pesquisadas usam ou monitoram as redes sociais. Desta porcentagem, as empresas de serviços vêm em primeiro lugar (30%), seguidas pelas de varejo, bens de consumo e transporte (20%) e pelas companhias de tecnologia, mídia e telecomunicações (19%).

A maioria das empresas, contudo, ainda não atinge completamente os benefícios prometidos, não compreendem os riscos ou não conseguiram implementar o uso das mídias sociais de forma integral, em toda a empresa.

A pesquisa também mostrou que as empresas usam as mídias sociais mais como plataforma de divulgação do que como um canal de relacionamento com seus clientes.

Intitulada “Mídias sociais nas empresas – O relacionamento online com o mercado”, a pesquisa ouviu 302 empresas de diversos segmentos e portes econômicos que atuam no Brasil. Pouco mais de 50% das empresas participantes são de pequeno porte, enquanto que empresas de médio e grande porte representam 26% e 22% da amostra, respectivamente.

A Deloitte também visitou dez empresas para a realização de entrevistas qualitativas: Accor Hospitality, Azul, Boehringer Ingelheim, Bradesco, Editora Globo, IBM, Natura, Nokia, Roche e Tecnisa.

Abaixo, os pontos mais importantes da pesquisa.

As ferramentas mais populares: redes sociais, Twitter e blogs corporativos

De acordo com a pesquisa, a ferramenta mais popular entre as empresas que utilizam as mídias sociais são as redes sociais, com 81%, seguida do Twitter, com 79%. Porém, ressalta o documento, “com o ritmo de crescimento que vem ganhando no Brasil, o Twitter deverá ultrapassar as redes sociais muito em breve”.

O blog corporativo também é outra ferramenta bastante popular: 70% das empresas pesquisadas têm um.

Iniciativas mais exploradas

Ações de marketing e divulgação de produtos ou serviços (83%) e monitoramento da marca ou mercado (71%) são as duas principais iniciativas para o uso das mídias sociais.

Outras iniciativas são vendas ou captura de oportunidades (46%), suporte ao cliente, fornecedores ou parceiros de negócio (43%) e gestão do conhecimento (40%).

CRM social

A consultoria aposta que o uso do “CRM social” (CRM, customer relationship management) ganhará, muito provavelmente, força em 2010.

Objetivos

Entre os principais objetivos da participação das empresas nas mídias sociais estão o aumento da reputação da marca (85%) e geração de marketing boca a boca (82%). Além deles, estão a criação de vantagem competitiva (59%), aumento da fidelidade do cliente (57%) e aumento de vendas (57%).

“A redução de custo nas operações de relacionamento com o cliente”, afirma o documento, “está entre os objetivos menos buscados pelas empresas.”

Outro trecho diz ainda que “ações que se baseiam fortemente em relacionamento entre pessoas, como vendas, captura de oportunidades, suporte aos clientes, integração de equipes e desenvolvimento de produtos colaborativo são as menos priorizadas pelas empresas brasileiras”.

Ou seja: as empresas usam as mídias sociais mais como plataforma (de divulgação/marketing) do que como um canal de relacionamento.

Modismo?

Para 35% das empresas que participaram da pesquisa, o uso das mídias sociais deve-se à repercussão dada pela imprensa, porém a busca pelos benefícios associados às mídias sociais é o principal fator que levou as empresas a usarem-nas em seus negócios (54%).

Quem comanda é o marketing

Em 73% das organizações, quem comanda as iniciativas nas mídias sociais é o marketing.

“O que surpreende, negativamente, é a falta de envolvimento da diretoria e do departamento de comunicação na liderança das ações em mídias sociais”, diz um trecho do documento.

Mensuração, métricas e resultados

Entre as formas de mensuração mais utilizadas estão o monitoramento do número de usuários, usuários ativos, visitantes ou visitantes recorrentes (71%), a visualização de páginas (63%), a freqüência das visitas (59%) e o tempo de permanência no site (52%).

A conclusão da pesquisa é que as empresas focam na mensuração de indicadores operacionais e não estratégicos ou financeiros.

Barreiras para a utilização das mídias sociais

Entre as empresas que estão fora das mídias sociais, 53% afirmam que a dificuldade de mensurar e monitorar os benefícios é a principal barreira para a utilização destas ferramentas.

“Os resultados da pesquisa demonstram que as empresas brasileiras pouco utilizam as mídias sociais como um pilar estratégico para seus negócios”, diz trecho da pesquisa.

Postado em 06 de novembro de 2009 por Equipe Happy Hour

Já é notória a importância de se utilizar as novas tecnologias em proveito de seu próprio negócio. Hoje em dia, cada vez mais a Internet tem sido usada para divulgar novos produtos, realizar campanhas inovadoras e buscar um contato mais próximo do consumidor.

A dica desta semana é uma excelente matéria da revista Exame PME, sobre cases de empresários que conseguiram inovar. Casos como do empresário Guilherme Benchimol, de uma corretora carioca, que criou um game on line para atrair mais acessos para o site da empresa. Com isso, 30% dos "jogadores" tornaram-se seus clientes.

Vale a leitura e o aprendizado: Proveito máximo

Postado em 28 de outubro de 2009 por Equipe Happy Hour

Com mais de 50 milhões de pessoas cadastradas no mundo, o Twitter é um microblog, uma espécie de mural de recados, onde o usuário se cadastra e pode escrever em até 140 caracteres uma pequena mensagem sobre qualquer coisa - os tweets (pio, em inglês) ou, na versão aportuguesada, tuítes. Quem é seguidor consegue ler diretamente em sua conta (ou timeline, para os iniciados) as mensagens escritas por outros usuários.

Pesquisas mostram que 15% dos internautas brasileiros utilizam a ferramenta, o que coloca o país à frente (percentualmente) de países do primeiro mundo, como Estados Unidos (10,69%), Reino Unido (9,36%), Austrália (5,36%) e Alemanha (4%). Personalidades brasileiras como Luciano Huck, William Bonner, Rubens Barrichello e Mano Menezes aderiram ao mecanismo e fazem grande sucesso.

Políticos também usam a ferramenta como forma de se aproximarem de seus eleitores. Exemplo? Barack Obama (o precursor), José Serra, Aloízio Mercadante e por aí vai. Recentemente, a revolta da população durante as eleições no Irã foi transmitida em tempo real pelo Twitter, já que jornalistas e veículos tradicionais estavam impedidos de enviar notícias para fora do país.

E as empresas nisso? Marcas globais como Dell, Starbucks, Nokia e brasileiras, como Camiseteria.com, Cultura Inglesa, Tecnisa, entraram na onda e estão tuitando suas notícias, promoções e ideias e se perguntam cada vez mais como utilizar o potencial das redes sociais em favor de suas marcas. Essas empresas perceberam que mecanismos como Twitter, Facebook e blogs são excelentes ferramentas para se aproximar dos clientes e gerar negócios, muito melhores do que veículos tradicionais como a TV, por exemplo.

Uma das principais vantagens do Twitter, diz seu guia para marcas, é a chance de a companhia se comunicar de modo casual e espontâneo com o consumidor. Afinal, a mensagem não é intrusiva – só a lê quem é seguidor da empresa.

O guia ainda traz mais dicas: deixe sempre um meio de contato, como e-mail; preste atenção ao que dizem de sua marca, seus produtos e serviços; procure encaminhar reclamações para que sejam logo resolvidas; seja rápido no retorno; adote um tom casual nas mensagens; compartilhe os projetos da empresa; ofereça bônus e descontos; e, por último, mas não menos importante, não pratique SPAM.

É bom mesmo as empresas prestarem mais atenção à internet e às redes sociais. O Ibope divulgou recentemente uma pesquisa que mostra que para a população jovem a TV deixou de ser o meio de comunicação mais importante.

Para a faixa etária de 10 a 17 anos, o computador com acesso à internet é o aparelho mais relevante, seguido pela TV e telefone celular. Dos 18 aos 24 anos, vem celular, computador com internet e só depois a TV. Portanto, a internet será a principal ferramenta de comunicação num futuro próximo e as redes sociais, como Twitter e Facebook, onde o burburinho acontecerá. Estar presente desde já pode garantir um futuro promissor às empresas que souberem aproveitar oportunidades.

Acompanhe a Happy Hour no Twitter: www.twitter.com/happyhour_com.

UPDATE: O artigo foi publicado na edição 11 de novembro de 2009 no jornal "Correio Popular", de Campinas (SP). Clique aqui para ver.