e-mail marketing

Postado em 10 de janeiro de 2012 por Carlos Eduardo Moura

Todos sabemos que a base de clientes e interessados em nossa empresa é um ativo de marketing formidável.

Contudo, parte considerável das empresas não se preocupa em relacionar-se com esta base e, quando se relaciona, muitas o fazem do jeito errado.

Valiosa, a base de clientes deve ser contatada com muito critério e sabedoria. Bastam alguns deslizes e pronto: a atenção que você tinha, não tem mais.

Preocupados com isso, levantamos os erros mais comuns ao se fazer campanhas de e-mail marketing ou newsletters.

Antes da lista, vale a pena dizer que, diferente da propaganda tradicional ou das mídias sociais, o e-mail é um canal extremamente valioso e pessoal. Muitas pessoas checam seus e-mails várias vezes por dia e não são poucos os que trabalham com a caixa de entrada aberta durante o período que passam na frente do computador.

Se usada da maneira correta e sem exageros, o e-mail é um dos canais mais eficientes para manter relacionamento e criar valor para o seu negócio.

Preparado? Vamos aos fatos!

Os erros mais comuns do e-mail marketing

Erro #1: oferecer apenas ofertas

Em primeiro lugar, ninguém quer receber APENAS promoções (a não ser, é claro, os assinantes de newsletters de sites de compra coletiva...). Chega um momento em que se cria uma saturação, uma overdose de ofertas e é aí que a taxa de abertura dos e-mails tende a despencar. Em segundo lugar, muitas empresas enviam apenas ofertas e, o que é pior, em formato de imagem. O que acontece? Muitos leitores de e-mail simplesmente BLOQUEIAM as imagens - e aí um abraço esforço de marketing. A solução é mesclar conteúdo em texto e imagens e ser interessante, sempre.

Erro #2: não oferecer conteúdo útil

Se sua empresa manda apenas ofertas, está desperdiçando uma chance enorme de construir relacionamento de qualidade. A dica é ser relevante e oferecer algo verdadeiramente importante para o seu cliente ou possível cliente – e saiba: existem milhões de formas de ser interessante. Cada contato via e-mail é uma oportunidade de gerar valor para a sua marca – mas também pode ser algo de pouca eficácia se você quer apenas empurrar produtos e serviços.

Erro #3: fazer SPAM

Do que adianta comprar um mailing com milhares de e-mails para disparar ofertas? Às vezes o resultado até vem – porém, é baixo e você pode sofrer efeitos colaterais e queimar a marca da sua empresa (e eu sei que você não quer isso). Além de ser deselegante (e ilegal, de acordo com a legislação), há dois problemas: esse tipo de mailing comprado costuma ser desatualizado e quem recebeu e por ventura abriu o seu e-mail jamais pediu para recebê-lo. A dica é construir a sua própria base e trabalhar em cima dela – com calma, sem afobação, com criatividade e a frequência certa.

Erro #4: usar um sistema arcaico ou o Outlook (ou similar)

Além de trabalhoso e chato, enviar sua newsletter ou e-mail marketing por um sistema arcaico ou pelo Outlook não te permitirá ver estatísticas como taxa de abertura e cliques (e até mesmo quem abriu e a que horas) dos materiais enviados, por exemplo. O segundo o problema (e talvez mais grave) é que o seu e-mail acaba indo para listas negras, se muita gente não abre o que você envia ou se os servidores considerarem seu e-mail um SPAM. Então, cuidado. Além disso, com um sistema profissional você pode criar, facilmente, várias segmentações com a sua base de dados.

Erro #5: não ter frequência

É muito comum: a empresa inicia, por si própria, o trabalho de divulgação, faz um esforço danado, mas o resultado não vem como o esperado – em geral, por que se cometeram muitos dos erros aqui expostos. A divulgação que seria a cada 15 dias vira mensal, depois não sai nem com reza brava. A construção de uma marca se faz com frequência e pertinência (além, é claro, de muitos outros fatores – como bons serviços prestados e preços). Então, é importante definir uma periodicidade e segui-la à risca.

Considerações finais

Relacionar-se com a base de clientes de forma frequente e relevante é uma das formas mais interessantes e baratas de se manter próximo de clientes e interessados em seus serviços e produtos. Pense sempre em como você pode ser relevante e útil ao seu cliente ou possível cliente. Pessoas têm o hábito estranho de valorizar quem os ajuda. Então... mãos à obra.

Postado em 08 de janeiro de 2010 por Carlos Eduardo Moura

 

A edição de janeiro da revista "Pequenas Empresas & Grandes Negócios" publica uma matéria com 10 maneiras de se fazer marketing por e-mail eficiente. Entre os tópicos, acredito que o mais importante seja a relevância. Sem relevância, nada feito. Segue abaixo a matéria completa.

CONECTE-SE
DIVULGAÇÃO ON-LINE
10 maneiras de fazer um marketing eficiente por e-mail

Marina Vidigal

Com uma comunicação dirigida e total possibilidade de personalização, um e-mail marketing bem-feito oferece alta taxa de retorno e ágeis mecanismos para mensurar as investidas. "A ferramenta é valio sa para empreendedores, uma vez que os colo ca em pé de igualdade com as grandes empre sas", diz Rodrigo Almeida, sócio da empresa especializada em comunicação digital Dina mize. Mas é preciso atentar para a qualidade das ações.

Listamos a seguir dez dicas, incluindo, por exemplo, a relevância das mensagens. Marcelo Miyashita, consultor e professor de marketing, tem experiência em e-mail marke ting. Ele montou a Rede do Bem, uma comuni dade cooperativa para indicação de vagas de empregos, usada também para a divulgação de seus cursos e de ações sociais. Quinzenalmen te ele dispara e-mails para 4.300 alunos. "Co mo divulgo vagas de emprego, a rede é relevan te para os cadastrados, que fazem questão de manter seus e-mails atualizados."

1. INVISTA EM SUA BASE DE E-MAILS. De nada vale ter uma listagem enorme e irrelevante para o negócio. "Já tivemos mailing de 25 mil e-mails e não sabía mos nem o nome das pessoas", diz Maurício Renner, editor do site de tecnologia da informação Baguete. "Depois de constatar que muitas mensagens não eram sequer abertas, fizemos uma campanha de recadastramento e temos hoje uma base consis tente de 8.700 assinantes."

2. ABRA UM CANAL PARA OPT-OUT. Em todos os e-mails que enviar, disponibilize um link para descadastramento - caso contrário, a sua empresa corre o risco de fi car associada ao desrespeito e à prática de spam.

3. ACERTE NA FREQUÊNCIA. A não ser que tenha autorização do cadastrado para envios mais frequentes, atenha-se aos e-mails quinzenais ou no máximo sema nais. O excesso de e-mails pode gerar uma imagem negativa.

4. SEJA RELEVANTE. Analise os links clicados pelos destinatários para identificar grupos de interesse. Se houver tribos bem distintas, segmente sua base de contatos, de modo a criar e-mails efetivamente rele vantes para quem recebe.

5. POSSIBILITE A TROCA. Não se restrinja a enviar men sagens. Apresente para o des tinatário um canal de aprofun damento e interação, seja por e-mail, fone, site ou blog. Em si tes e blogs, disponibilize formu lários de cadastro e apresente a possibilidade de indicar amigos.

6. DOSE O TAMANHO DOS ARQUIVOS. Não carregue os e-mails com imagens ou anexos pesados. Ca so queira disponibilizar arquivos grandes para o destinatário, gere um link que conduza a eles.

7. SEJA OBJETIVO. Tenha títulos e mensagens ob jetivas. Seu e-mail concorre com várias outras mensagens - você tem poucos segundos para atrair quem lê.

8. DRIBLE O ANTI-SPAM. Antes de liberadas pelos provedores, as mensagens passam por filtros anti-spam. Existem pala vras ranqueadas em mecanismos específicos - se uma delas atin ge certa pontuação, é interpreta da como lixo. "Sexo", "Viagra" e links para o Orkut, por exemplo, alcançam muitos pontos. Em pe ríodos de programa Big Brother Brasil, "BBB" é um termo que também assusta. Antes de dispa rar várias mensagens eletrônicas convém testar o envio para en dereços de provedores distintos. Uma vez aprovadas, tudo OK para o restante do grupo.

9. INVISTA NO ENVIO. Há empresas especializadas em envio de e-mail marketing. Elas têm pacotes econômicos para envios reduzidos, como mil mensagens mensais. O disparo "doméstico" costuma ser barrado pelos provedores.

10. MENSURE OS RETORNOS. O e-mail marketing não é mero instrumento para divulgação. Trata-se de um modo de conhecer melhor o cliente e identificar suas preferências. Tome as mensurações feitas por empresas de e-mail marketing como formas para incrementar seu negócio. Você pode inclusive fazer testes, enviando diferentes mensagens para dois grupos e comparando os retornos obtidos.